Dengue hemorrágica

Dengue hemorrágica

É com muita emoção e gratidão que escrevo para dar o meu testemunho de fé.

Conheci o Terço da Libertação de uma forma inusitada: através de uma vizinha que eu apenas cumprimentava, porém não tinha laços de amizade, na verdade intimamente não a achava muito correta em suas atitudes e a evitava.

Em uma fase difícil, quando eu atravessava uma crise financeira, ao voltar de uma caminhada, em que sempre conversava com Deus, ela me chamou e me ofereceu o Terço da Libertação. Confirmo que pensei que ela estava me vendendo, mas não, ela estava me ofertando sem saber o meu drama. Embora não sabendo do que se tratava, pois não o conhecia, resolvi lê-lo e passei a orá-lo todos os dias. Em pouquíssimo tempo minha vida mudou, pois fui chamada para trabalhar em um emprego público, cujo concurso tinha acontecido um ano atrás e era um ótimo emprego para o meu padrão. Mudei-me para outra cidade e nunca me esqueci daquela senhora. Procurei sempre emprestar o livro para outras pessoas e às vezes o folheava com carinho.

Quando meu filho adoeceu, começamos a tratá-lo como se fosse uma virose sem maiores consequências. No terceiro dia sem melhoras, ele chamava e falava que sentia que havia algo de muito ruim e que estava muito mal. Fomos de madrugada para o hospital, e ele, cada vez mais fraco, não reagia. Os médicos pediram vários exames e o desespero tomou conta de mim, pois eles não diagnosticavam o que era, e os sintomas davam várias doenças ruins. Chegaram até dizer que era apendicite e iam operá-lo, o que era dos males o menor.

Agarrei-me a Jesus e ao Terço da Libertação, que orava sem cessar junto à cama do meu filho no hospital. Embora tivesse muita fé, eu me sentia muito mal e a dor me consumia; eu não comia e não dormia. Numa tarde, já não aguentando mais, tomei um calmante e fui para casa tentar dormir um pouco, para recuperar as forças. Cochilei um pouco, pus-me de joelhos e, orando e chorando, pedi com toda fé que Jesus libertasse meu filho.

Nesse dia os médicos já suspeitavam de que meu filho estava com dengue hemorrágica, pois as plaquinhas do sangue caíram assustadoramente e precisavam levá-lo para a UTI, porque essa doença é muito grave. Havendo um surto na região, já tinha ouvido até falar em óbitos ocorridos.

Após a oração em minha casa, o telefone tocou e era o meu marido me avisando que o meu filho me pediu um sorvete. Como fiquei feliz! Ele já não se alimentava fazia cinco dias e aquele foi o primeiro sinal de sua recuperação. Hoje ele está completamente curado, para honra e glória do Senhor Jesus e graças ao Terço da Libertação.

 

Angélica/Campos dos Goytacazes

Copyright 2014 Raboni Editora
Desenvolvido em Wordpress com tecnologia Minha Paróquia